Dedico e dirijo este blogue a todos aqueles que tiverem passado (ou estiverem a passar) por histórias de cancros, quer como protagonistas, quer no papel de acompanhantes na luta contra a doença, mas espero por cá encontrar qualquer contributo que qualquer um considere válido.
A intenção principal é trocar experiências de forma direta e sincera, sem necessidade de qualquer apoio no escudo da força constante e do pensamento sempre positivo, que tantas vezes não estão presentes, mas parece haver uma imposição social para que assim seja...
Sejam bem-vindos! E divulguem este blogue!

Por aqui, discorre-se sobre:

... Acompanhamento Psicológico Ajudar quem Ajuda Alertas Alimentação Alopécia Antes e Depois Aquisições autoestima Brincadeira Cancro da Mama nos Homens Cansaço Chamar os bois pelos nomes Cirurgias Cirurgias de Amigas Codependência Coisificação nas Doenças Prolongadas Complicações Pós-operatórias Consultas Conviver Cumplicidade Dar / Receber a Notícia Desafios Desânimo Desejos Desespero Despedida Diagnóstico Dicas Dieta Distinções Efeitos Secundários de Medicação Emagrecer Encontros de Amigas Esclarecimento Esperança Estilo de Vida Estímulos Exteriores Exames Pré-operatórios Exemplos Famosos Com Cancro Feminilidade Filosofia de Vida Pós Doença Fisioterapia Fracassos Gang da Mama histerectomia Histórias de Luta Hormonoterapia Hospitalizações Humor Implicações Psicológicas Incongruências Informação Lingerie Correta Lingerie Pós-Operatória Medos Meios Complementares de Diagnóstico Meios de Diagnóstico Menopausa Depois do Cancro da Mama Modos de ser Mudanças na Vida Natal Nova Normalidade Novas Amizades Novidades O Cancro em Pormenores O Cancro Não é Só uma Doença; é um conjunto de doenças O Cancro Não é Só uma Doença; é um conjunto de doenças; efeitos secundários da medicação Ocupação em Tempo de Baixa Os cancros dos amigos e familiares Palavras Alheias a Propósito do Propósito Parabéns Partilhar a Doença Perdas Pós-cirurgia Pós-operatórios Prazer em encontrar quem nos entende Prazeres Prevenção Prevenção de Recidivas Processo de Recuperação Projetos de Sensibilização Quimioterapia Radioterapia Rastreio do Cancro da Mama Reações Alheias Reações Pessoais Reconstrução Mamária Regresso à normalidade Regresso ao Trabalho Sentimentos negativos Sexualidade Sinais Sintomas Solidão Tamoxifeno Terapias Toque Tram Flap Tratamentos Verdade Verdadinha Vitórias Vontade de ter poder sobre a doença

riscos marcantes

riscos marcantes

NOTE BEM

No dia 11.1.11, este blogue passou a ser escrito à luz do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Naquele dia, tremeram-me as pernas...

Estávamos a 9 de setembro. Era o segundo dia do meu trabalho na escola, quatro anos depois de eu ter iniciado o ano letivo em que adoeci. Na véspera, o cirurgião que me operou em julho fizera-me os buracos que se veem na fotografia, tirada pelo meu marido. Furou-me com uma tesoura. A sangre frio. Fê-la entrar na totalidade na minha barriga, deixando apenas as "orelhas" de fora, e foi escarafunchando o meu interior com aquilo, enquanto, com a outra mão, me carregava no abdómen, para fazer sair a gordura desvitalizada (como ele lhe chamou), algo muitíssimo parecido com mostarda, tanto na cor como na consistência.
Levantei-me com tempo para me arranjar e estar na escola às 10:30h, hora do conselho de turma. Mas, quando, finalmente, consegui estar pronta e olhei para o relógio, eram 10:25h.
Não fui! Como ainda me tremiam as pernas, deitei-me na cama, ainda por fazer, e aninhei-me por baixo dos panos, deixando as lágrimas correrem... E senti-me uma azarada. Era a terceira vez que regressava à escola, depois do cancro. Iria ser o terceiro falhanço?
Deixei-me adormecer e já passava do meio dia quando acordei. Coloquei a mão no penso que, a tanto custo, eu conseguira fazer sobre os buracos a jorrarem sangue, e pareceu-me seco. Esquecia-me de que usara pensos impermeáveis...
Na casa de banho, vi, à transparência do penso refletido no espelho, que a compressa estava suja. Temi a repetição da experiência matinal e resolvi não lhe mexer.
Estava destroçada. Ter faltado à reunião soava-me a dado suficiente para os meus colegas comentarem que mais uma vez eu não iria conseguir. Parecia-me ouvi-los.
Desci as escadas, de olhos molhados, e surpreendi-me por encarar com o Miguel. Esquecera-me de que os mais novos tinham ficado em casa. Ele perguntou-me se eu precisava de alguma coisa e eu pedi-lhe um copo de água grande com dois pacotes de açúcar. E, quando eu lho devolvi, depois de ter bebido o preparado, sorrimos um para o outro.
Era hora de atacar de novo o penso, uma vez que ficara mais calma. A compressa saiu cheia, mas os buracos já não verteram, como de manhã. E lá fiz eu um penso novo, dessa vez deitada, essencialmente por medo de voltar a sentir as pernas a tremer...

Hoje, dia 26, os buracos estão fechados, há cerca de uma semana. Deixaram de drenar e fecharam. Mas ao longo da cicatriz há um grande inchaço, como se eu tivesse uma boia na barriga. E doi-me, e arde, e limita-me os movimentos, e já fez aparecer na virilha um gânglio, que me assustou, hoje quando acordei, mas em que já estou a pensar como reação do organismo a um processo inflamatório. Só pode ser isso! É talvez a temida rejeição da rede... Ou não, sei lá!... Será que o meu organismo é avesso a qualquer corpo estranho? Já vai parecendo que sim!
Agora, espero por um telefonema do cirurgião, que, depois do meu contacto de ontem, ficou de me ligar hoje, para me dizer quando é que posso ir ter com ele. Só espero que não seja para tratamento semelhante ao do dia oito!...

19 comentários:

Ana Camões disse...

Guida, não sei como aguentaste "as mãos" e a tesoura :-) so de ver a imagem fico arrepiada... nem quero imaginar o que sentiste...

Qt ao "falhanço", como lhe camas. não podes pensar assim!!! Não se trata de "falhares" mas sim de te CUIDARES!!!
CUIDA-TE!!!!
Quero ver-te BOA!!!
Da noticias do telefone do cirurgião!!!

Guida Palhota disse...

Olá, Ana.
Acho que consegui aguentar, porque o meu abdómen está longe de ser o que era. Agora é um pouco "aborrachado". Mas estou bera e cansada...
Assim que houver novidades, apito.
Beijocas

maguie disse...

beijossss...

Lina Querubim disse...

Melhoras rápidas!
Beijinhos

acácia rubra disse...

Às vezes fazemos rejeições àquilo que nunca imaginámos.

Vais ver que tudo correrá bem.

Beijo

Natália disse...

A vida não tem sido nada fácil nos últimos tempos Amiga.
Espero que tudo se resolva rapidamente.
Beijinhos e boa recuperação.

Maria de Lourdes disse...

Guida
desejo de todo o coração, que já estejas a ter o tratamento devido, tem cuidado contigo isso não está para descuido por parte de médicos, nem de ninguem olha por ti: beijinho grande

gabriela disse...

As melhoras Guida, quanto á escola trata-te primeiro, o resto espera beijinhos e rápidas melhoras

Gatapininha disse...

As rápidas melhoras:)
Vê lá se te sentes mesmo bem, pois na escola vão achar que estás a 100%!
jokas

ClaudiaV disse...

as melhoras Guida! És muito corajosa, eu tinha caído pro lado com isso tudo!
Beijinhos

Anónimo disse...

Querida Guida, mas que se passa que achas que falhas se te sentires incapaz de ir trabalhar? Falhas??? Que certezas são essas? Como podes eleger com tanto preciosismo a tua momentânea "falha" nesse mesmo preciosismo! Estás a destacar demasiado uma parte da tua vida (a profissão e o que os outros pensam de ti como profissional) em detrimento do teu bem estar. Os buracos são o menos, mas o inchaço, não!!! O teu médico nada te diz? Telefona, insiste, pinta mais preto o inchaço, fala do gânglio e insiste, até ele ver e decidir o que tens de fazer. Quanto ao regresso ao trabalho, depois de tudo o que tens feito, cirurgias, tratamentos, gaita Mulher, recolhe-te, faz de madame, passeia, toma chá....c...nos outros colegas...trata de ti!!
TM

Geninha disse...

Guida tens que cuidar de ti.
Liga ao médico, nao podes estar assim.
Um beijinho grande e as melhoras

Cinda disse...

Guida, acho que já não tenho mais nada para te dizer. Disse-te no dia em que te conheci pessoalmente e levei-te até ao lugar certo.
Que conversa é essa de falhanço!!!
Que é isso de estares à espera que o médico diga que te liga?
Ligas tu, foi uma cirurgia nada fácil e foi em ti, não no médico.
não estás a pedir favores estás a pagar um serviço e bem caro. Deixa de ser assim e grita, diz o que te vai na alma e reevindica o que te é devido mulher. Gaita és uma MULHER de luta. A TM tem razão.

IsaLenca disse...

Tens de te cuidar...como diz a Cinda vai atrás do médico...
Como tu própria disseste os filhotes mais novos estavam em casa e sorriste. Tens de ficar boa para sorrires para ti própria de satisfação de teres ultrapassado esta fase. O trabalho? Pois é essencial...com 4 filhotes ajuda muito. Mas se não tiveres bem de saúde ainda é pior. Troca lá essas prioridades: 1º ficares bem (sê chata até falares com o médico e esclareceres tudo o que anda a acontecer com o teu corpo); 2º dar verdadeiros sorrisos a qualquer hora com os filhotes- brincar e vê-los crescer 3º o maridão...4º família e amigos...e depois, só depois...o trabalho!!
Vá lá...quero ver o próximo post "Tremeram as pernas mas agora foi porque brinquei muito com os filhotes e dancei com o maridão!".
Bjs grandes.

prendas1001 disse...

Guida, então essa força!
Vamos em frente o trabalho pode esperar e não se preocupe com o que os outros pensam.
Pense é em si e faça com que o médico a trate de uma vez.
Espero que já tenha tudo resolvido.
Um grande beijo.
Anabela

Anónimo disse...

Guida, qq coisa, diz-nos, estamos preocupadas contigo...gostamos muito de ti! Cuida-te querida amiga
TM

Guida Palhota disse...

Minhas queridas!

Perdoem-me só agora aqui vir.
Fui ao médico, ontem, mas ele não me ligou muito. Disse que passou ainda muito pouco tempo sobre a cirurgia e aconselhou-me a reduzir os esforços, pois o organismo está a reagi à rede que me colocaram no abdómen. Enfiou-me um avocat na barriga, mas não conseguiu recolher nada, apesar de admitir que possa haver lá líquido ou sangue. Não tocou, sequer, nos gânlios de que lhe falei (um na virilha e outro na mama nova), dizendo que não havia sinais clínicos (rubor ou febre) para isso acontecer. Senti que ele achou que eu estava a inventar, mas o Pedro e a minha mãe confirmaram os "caroços".
Vim desanimada e sinto-me muito cansada. Devo ficar de atestado durante esta semana, até porque, também vou a Lisboa, ao IPO, onde tenho análises e consulta de oncologia.
Vou perguntar à minha diretora se me arranja maneira de eu trabalhar sempre na mesma sala, para não passar o dia a caminhar e a subir e descer, com a pasta carregada.
Estou, portanto, barriguda, com uma barriga que mais parece uma boia e de metal, dado o tipo de incómodo que me causa. Claro que a tenho disfarçado por baixo das roupas, mas é difícil disfarçar as dores e o incómodo que ela me causa, mesmo com o Voltaren Rapid.

Obrigada por todas as vossas palavras e conselhos, que me sabem muito bem, pois chegam carregados de carinho.

Mil beijos,
para distribuírem por todas

*___*

Guida Palhota disse...

Olá, ladies!

Está feito. Na próxima semana, já terei o privilégio de trabalhar numa só sala, e creio que essa será uma grande ajuda para eu me aguentar, sem estar quase sempre em cansaço extremo.
Agradeço à minha diretora a prontidão na sua resposta positiva e sinto-me otimista.
Quanto à inflamação, tenho de acreditar que o Voltaren vai ajudar-me no dia a dia, até que seja o tempo a responsabilizar-se por tudo sarar.

Beijocas

Maria disse...

Olá, Guida.
Tudo irá ficar bem. Aos poucos tudo se vai compor... e a paz e tranquilidade voltarão.

Um beij.o.
Conceição