Dedico e dirijo este blogue a todos aqueles que tiverem passado (ou estiverem a passar) por histórias de cancros, quer como protagonistas, quer no papel de acompanhantes na luta contra a doença, mas espero por cá encontrar qualquer contributo que qualquer um considere válido.
A intenção principal é trocar experiências de forma direta e sincera, sem necessidade de qualquer apoio no escudo da força constante e do pensamento sempre positivo, que tantas vezes não estão presentes, mas parece haver uma imposição social para que assim seja...
Sejam bem-vindos! E divulguem este blogue!

Por aqui, discorre-se sobre:

... Acompanhamento Psicológico Ajudar quem Ajuda Alertas Alimentação Alopécia Antes e Depois Aquisições autoestima Brincadeira Cancro da Mama nos Homens Cansaço Chamar os bois pelos nomes Cirurgias Cirurgias de Amigas Codependência Coisificação nas Doenças Prolongadas Complicações Pós-operatórias Consultas Conviver Cumplicidade Dar / Receber a Notícia Desafios Desânimo Desejos Desespero Despedida Diagnóstico Dicas Dieta Distinções Efeitos Secundários de Medicação Emagrecer Encontros de Amigas Esclarecimento Esperança Estilo de Vida Estímulos Exteriores Exames Pré-operatórios Exemplos Famosos Com Cancro Feminilidade Filosofia de Vida Pós Doença Fisioterapia Fracassos Gang da Mama histerectomia Histórias de Luta Hormonoterapia Hospitalizações Humor Implicações Psicológicas Incongruências Informação Lingerie Correta Lingerie Pós-Operatória Medos Meios Complementares de Diagnóstico Meios de Diagnóstico Menopausa Depois do Cancro da Mama Modos de ser Mudanças na Vida Natal Nova Normalidade Novas Amizades Novidades O Cancro em Pormenores O Cancro Não é Só uma Doença; é um conjunto de doenças O Cancro Não é Só uma Doença; é um conjunto de doenças; efeitos secundários da medicação Ocupação em Tempo de Baixa Os cancros dos amigos e familiares Palavras Alheias a Propósito do Propósito Parabéns Partilhar a Doença Perdas Pós-cirurgia Pós-operatórios Prazer em encontrar quem nos entende Prazeres Prevenção Prevenção de Recidivas Processo de Recuperação Projetos de Sensibilização Quimioterapia Radioterapia Rastreio do Cancro da Mama Reações Alheias Reações Pessoais Reconstrução Mamária Regresso à normalidade Regresso ao Trabalho Sentimentos negativos Sexualidade Sinais Sintomas Solidão Tamoxifeno Terapias Toque Tram Flap Tratamentos Verdade Verdadinha Vitórias Vontade de ter poder sobre a doença

riscos marcantes

riscos marcantes

NOTE BEM

No dia 11.1.11, este blogue passou a ser escrito à luz do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

domingo, 26 de setembro de 2010

Ele há o rir, mas há também o chorar
















Talvez andemos todos, desde pequenos, a viver ao sabor da ideia de que devemos sorrir sempre e chorar nunca, isto quando em público nos encontramos, pelo menos. E eu faço parte desse grupo de 'todos', naturalmente, mas, nos últimos tempos, tenho querido libertar-me de muitas prisões e essa é uma delas. Porque tanto rir como chorar são formas naturais de libertação de tensões e, se não forem reprimidas, ajudar-nos-ão a seguir o nosso caminho sem carregamento de pesos!
Eu sou, por natureza, muito risonha e muito chorona, dependendo obviamente das circunstâncias, mas lá me fui encaixando numa sociedade com regras, até para o riso e o choro. Só que agora, depois da doença, sinto-me a transformar-me numa rebelde e a desejar soltar de mim aquilo que me apetecer quando me apetecer, desde que não prejudique ninguém.
Comecei em casa. No início da doença, quando tinha vontade de chorar, fugia dos meus filhos, para que eles não se apercebessem de que algo de errado se passava comigo. Agora choro quando as lágrimas aparecem e explico-lhes o que estou a sentir. Eles gostam tanto de me ver rir e às vezes até também tenho de lhes explicar a razão do riso... Por que razão havia eu de lhes esconder as razões que me levam a uma outra expressão de sentimento?
A vida só é verdadeira se o for na totalidade. É pena é que precisemos de tantos anos e/ou de experiências tão duras para aprender isso e para passar a ter a coragem de, fora de casa, também nos expressarmos verdadeiramente, quer seja de rir, quer seja de...

5 comentários:

Kimbanda disse...

Como balanço facilmente nos meus humores, extravaso com facilidade minhas emoções, ora rindo ora chorando, seja de alegria ou por estar em baixo. Acima de tudo sei o quanto me faz bem e, isso não escolhe ocasião nem lugar.
Travar essas emoções é reprimir e alterar a nossa natureza. O que outros pensem acerca disso, que se lixe.
Bj e kandandos

acácia rubra disse...

É verdade que nos ensinaram coisas erradas.
É verdade que as assimilámos.
Mas também é verdade que precisamos de muita coragem para dizermos o que sentimos quando o estamos a sentir. E tu tens tido essa coragem, que muito admiro.

Beijo

Lina Querubim disse...

Guida, sempre mostrei os meus sentimentos não os reprimo. Quando tenho vontade de chorar, choro e quando é para rir também o faço. Também choro de tanto rir quem me conhece sabe-o bem!
Hoje é um dia de choro para mim como tem tem sido ultimamente...mas vai passar!
Beijokas e tem uma boa semana de trabalho!

sonia disse...

Bom dia Guida,
Eu tb fui ensinada a reprimir os meus sentimentos.
Que parvoíce!

Mas talvez,porque a sociedade não saiba muito bem o que deve fazer nos casos de choro...prefiram que toda a gente ande de sorriso(nem que seja amarelo)estampado no rosto.
Pois eu voltei a aprender...se apetece-me chorar,choro,se apetece-me rir,rio,se apetece-me qualquer coisa,faço-a.
Agradeço a ajuda do meu psicólogo!

Nós é que sabemos como sentimo-nos...

Beijinhos e uma boa semana

ClaudiaV disse...

Naquele livro das "50 lições que a vida me ensinou" tb fala sobre o choro. Que devemos chorar. Que as pessoas ficam sem saber o que fazer qd choramos pq a sociedade nao se habituou a libertarmos as emoções.
Eu acho que no fim de semana devia ter chorado, estava a pensar mto sobre o futuro, nao em termos da doença mas no futuro profissional e isso deixou-me um pouco deprimida. Mas nao chorei. Nao sei pq, nao o fiz. Fico sempre melhor qd choro, chorar faz bem. Mas acho que desde que descobri o bicho só chorei pra aí umas 4 vezes... nem mesmo sozinha choro. Nao sei o que se passa cmg. lol O que vale é que chegou a segunda e fui melhorando e agora já estou com a energia toda novamente! :)