Dedico e dirijo este blogue a todos aqueles que tiverem passado (ou estiverem a passar) por histórias de cancros, quer como protagonistas, quer no papel de acompanhantes na luta contra a doença, mas espero por cá encontrar qualquer contributo que qualquer um considere válido.
A intenção principal é trocar experiências de forma direta e sincera, sem necessidade de qualquer apoio no escudo da força constante e do pensamento sempre positivo, que tantas vezes não estão presentes, mas parece haver uma imposição social para que assim seja...
Sejam bem-vindos! E divulguem este blogue!

Por aqui, discorre-se sobre:

... Acompanhamento Psicológico Ajudar quem Ajuda Alertas Alimentação Alopécia Antes e Depois Aquisições autoestima Brincadeira Cancro da Mama nos Homens Cansaço Chamar os bois pelos nomes Cirurgias Cirurgias de Amigas Codependência Coisificação nas Doenças Prolongadas Complicações Pós-operatórias Consultas Conviver Cumplicidade Dar / Receber a Notícia Desafios Desânimo Desejos Desespero Despedida Diagnóstico Dicas Dieta Distinções Efeitos Secundários de Medicação Emagrecer Encontros de Amigas Esclarecimento Esperança Estilo de Vida Estímulos Exteriores Exames Pré-operatórios Exemplos Famosos Com Cancro Feminilidade Filosofia de Vida Pós Doença Fisioterapia Fracassos Gang da Mama histerectomia Histórias de Luta Hormonoterapia Hospitalizações Humor Implicações Psicológicas Incongruências Informação Lingerie Correta Lingerie Pós-Operatória Medos Meios Complementares de Diagnóstico Meios de Diagnóstico Menopausa Depois do Cancro da Mama Modos de ser Mudanças na Vida Natal Nova Normalidade Novas Amizades Novidades O Cancro em Pormenores O Cancro Não é Só uma Doença; é um conjunto de doenças O Cancro Não é Só uma Doença; é um conjunto de doenças; efeitos secundários da medicação Ocupação em Tempo de Baixa Os cancros dos amigos e familiares Palavras Alheias a Propósito do Propósito Parabéns Partilhar a Doença Perdas Pós-cirurgia Pós-operatórios Prazer em encontrar quem nos entende Prazeres Prevenção Prevenção de Recidivas Processo de Recuperação Projetos de Sensibilização Quimioterapia Radioterapia Rastreio do Cancro da Mama Reações Alheias Reações Pessoais Reconstrução Mamária Regresso à normalidade Regresso ao Trabalho Sentimentos negativos Sexualidade Sinais Sintomas Solidão Tamoxifeno Terapias Toque Tram Flap Tratamentos Verdade Verdadinha Vitórias Vontade de ter poder sobre a doença

riscos marcantes

riscos marcantes

NOTE BEM

No dia 11.1.11, este blogue passou a ser escrito à luz do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

sábado, 4 de fevereiro de 2012

DEPENDENDO DA PRESSÃO

Eu sou como o sabonete!
Vêm agarrar-me com muita força, e eu escapo-me;
vêm para mim com jeito e carinho, e eu dou-me!

10 comentários:

Ana Camões disse...

E nunca te arrependas de te "DAR"!! Podemos vencer muitas guerras mas nunca sem ajuda dos outros.
Beijo

Guida Palhota disse...

Claro que não, Ana. Eu gosto de me dar. Só não gosto que tenham receitas para mim, nem que queiram (ou mesmo que achem) que eu sou igual a outros...
Eu vou encontrando o meu caminho, no cruzamento com os outros, recebendo deles e escolhendo aquilo com que me identifico. É no relacionamento com os outros que me vou encontrando e conhecendo, mas nunca poderão ser os outros a indicar-me caminho nenhum. As escolhas têm de ser minhas, como serão só minhas as cabeçadas, se as houver, só da minha responsabilidade.
E nesta minha viagem, há avanços e recuos, há vontades e há falhanços e há aparências de contradição... Mas só não aparenta ser contraditório quem não fala de si, quem não se abre, quem não se expõe com toda a verdade, com toda a sinceridade. Estar caladinho é a melhor defesa, mas eu nem quero defender-me... Já não tenho nada a perder!
Eu dou sim! Aliás, tudo o que tenho escrito é numa perspetiva de oferecer a minha experiência de vida com o cancro, não é para me queixar por ter tido cancro e seus derivados... É para dizer: Comigo foi e está a ser assim. Este é o meu caso. Há muitos outros. Todos diferentes. Seria até bom que cada pessoa registasse o seu!

Um beijinho

Maria disse...

O amor, o carinho e a atenção são tão importantes...
Eu continuo a pensar que quem ama cuida... e cuida sem esperar nada em troca.
As relações que valem a pena são as que se mantêm em períodos dif+iceis em que, por vezes, nada parece fazer sentido.
Um abraço amigo, Guida.
Conceição

Silvina disse...

Guidita,
é difícil provarmos aos outros que nós é que sabemos o que é melhor para nós (ainda há dias a minha mãe teimou comigo que eu, Silvina, nem sempre sei o que é melhor para mim a nível médico... sem comentários); que o nosso corpo nos demonstra coisas que nós poderemos sentir melhor que ninguém; que as vivências são nossas e que, por isso mesmo, extremamente difíceis de serem traduzidas em palavras de forma a que os outros as entendam na sua totalidade, com tudo o que abrangem. Não sei se entendi muito bem o que dizes neste post e nalguns mais abaixo. O que sei é que ninguém tem o direito de te julgar, ou de dizer que tinhas que fazer assim ou assado, simplesmente porque os outros não são TU, logo não viveram o que tu viveste. Tu é que decides, com o teu feitio, com a tua bagagem de vida, com a tua forma de pensar, como queres viver e és responsável pelas escolhas que fazes. Os outros às vezes esquecem-se que deveriam só estar lá e ouvir, em vez de falar.
Um beijinho*

Anónimo disse...

"Vem por aqui"
-dizem-me alguns com olhos doces,
Estendendo-me os braços e seguros
De que seria bom que eu os ouvisse.
Quando me dizem "vem por aqui"!
Eu olho-os com olhos lassos,
(Há nos meus olhos ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca vou por ali...

Um excerto dumas " palavras" de José Régio.

Eu tb nunca vou por ali...
Nós é que fazemos o nosso caminho e é nele que vamos sendo felizes, ou não !!!
Estou contigo Guida.
Um abraço.
Helena Santos

Guida Palhota disse...

Conceição,

É isso. Claro que é isso. Às vezes, há mal-entendidos, mas, quando a amizade é séria, tudo se resolve, ou seja, as palavras, acabam por se alinhar formando sentidos claros...

Beijocas, com carinho

*___*

Guida Palhota disse...

Silvinita,
sabes que mais?

Eu tenho uma vontade enorme de ir aí ver-te! É uma coisa séria. Até já sonhei com isso e até já fui ver os preços dos bilhetes e dos aposentos...
Mas devo estar a romancear...
Sinto uma identificação invulgar contigo. Nem sequer sei onde moras, mas, se tiveres vontade de me ver, posso encontrar-me contigo onde quiseres - apesar de não saber falar francês (LOL).
É que, por enquanto, ainda não estou a trabalhar, mas isto não dura sempre...

Leva isto a sério, se quiseres, e leva-o a brincar, também se quiseres. ;)

Uma beijoca

Guida Palhota disse...

Helena,

Aprendi tarde que há certos caminhos alheios que não preciso de seguir... Mas, como mais vale tarde do que nunca, cá estou eu, de cabeça erguida, para enfrentar um caminho escolhido, ainda que com muitos véus por levantar...

Beijo Grande
e tudo a correr bem
*___*

IsaLenca disse...

Sempre de cabeça erguida por mais "depenada que estejamos é o lema principal.
Gostei de te ler!

E o melhor sabonete perfuma e impregna a pele de suavidade:)

Bjs

Guida Palhota disse...

Beijinho, Isalenca!
*___*