Dedico e dirijo este blogue a todos aqueles que tiverem passado (ou estiverem a passar) por histórias de cancros, quer como protagonistas, quer no papel de acompanhantes na luta contra a doença, mas espero por cá encontrar qualquer contributo que qualquer um considere válido.
A intenção principal é trocar experiências de forma direta e sincera, sem necessidade de qualquer apoio no escudo da força constante e do pensamento sempre positivo, que tantas vezes não estão presentes, mas parece haver uma imposição social para que assim seja...
Sejam bem-vindos! E divulguem este blogue!

Por aqui, discorre-se sobre:

... Acompanhamento Psicológico Ajudar quem Ajuda Alertas Alimentação Alopécia Antes e Depois Aquisições autoestima Brincadeira Cancro da Mama nos Homens Cansaço Chamar os bois pelos nomes Cirurgias Cirurgias de Amigas Codependência Coisificação nas Doenças Prolongadas Complicações Pós-operatórias Consultas Conviver Cumplicidade Dar / Receber a Notícia Desafios Desânimo Desejos Desespero Despedida Diagnóstico Dicas Dieta Distinções Efeitos Secundários de Medicação Emagrecer Encontros de Amigas Esclarecimento Esperança Estilo de Vida Estímulos Exteriores Exames Pré-operatórios Exemplos Famosos Com Cancro Feminilidade Filosofia de Vida Pós Doença Fisioterapia Fracassos Gang da Mama histerectomia Histórias de Luta Hormonoterapia Hospitalizações Humor Implicações Psicológicas Incongruências Informação Lingerie Correta Lingerie Pós-Operatória Medos Meios Complementares de Diagnóstico Meios de Diagnóstico Menopausa Depois do Cancro da Mama Modos de ser Mudanças na Vida Natal Nova Normalidade Novas Amizades Novidades O Cancro em Pormenores O Cancro Não é Só uma Doença; é um conjunto de doenças O Cancro Não é Só uma Doença; é um conjunto de doenças; efeitos secundários da medicação Ocupação em Tempo de Baixa Os cancros dos amigos e familiares Palavras Alheias a Propósito do Propósito Parabéns Partilhar a Doença Perdas Pós-cirurgia Pós-operatórios Prazer em encontrar quem nos entende Prazeres Prevenção Prevenção de Recidivas Processo de Recuperação Projetos de Sensibilização Quimioterapia Radioterapia Rastreio do Cancro da Mama Reações Alheias Reações Pessoais Reconstrução Mamária Regresso à normalidade Regresso ao Trabalho Sentimentos negativos Sexualidade Sinais Sintomas Solidão Tamoxifeno Terapias Toque Tram Flap Tratamentos Verdade Verdadinha Vitórias Vontade de ter poder sobre a doença

riscos marcantes

riscos marcantes

NOTE BEM

No dia 11.1.11, este blogue passou a ser escrito à luz do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

segunda-feira, 8 de março de 2010

Atrapalhação no Balneário / Banalidade no Consultório

Ainda não chegou o dia em que me sentisse à vontade para me despir no balneário do Forlife, onde pratico hidroginástica, ao pé das minhas colegas da turma. Só porque uma das minhas mamas não tem (ainda) aréola nem mamilo e elas não sabem disso. Equipo-me (e desequipo-me) sempre numa pequena cabine, onde a indumentária de Inverno se transforma numa trouxa de família numerosa e a atrapalhação reina, especialmente por ser necessário evitar o chão molhado ao vestir algo que entre pelos pés.
Isto para dizer que a diferença da minha nudez de hoje relativamente à de ontem causa-me uma intolerância psicológica, que se traduz num incómodo físico e também num incómodo social.
O incómodo social prende-se com o facto de, assim sendo, eu ficar privada da cavaqueira natural do despe e veste, antes e depois da aula, o que me vai mantendo socialmente à parte da malta, diminuindo as minhas hipóteses de troca de venturas ou desventuras.
Cá em casa, dizem-me para me deixar "de coisas", pois quem não viu ainda, vê agora e isso pode até ser o início de relações enriquecedoras, mas eu, que até sei que, se as mamas não tivessem aréolas e mamilos, a minha estaria perfeita, ainda não me dou bem com a falta dos "acessórios" que a hão-de voltar a embelezar um dia. E, portanto, prefiro não mostrar a quem não precisa de ver.
Já com os médicos se passa o inverso. De tão vista que já fui, sempre que tenho de me mostrar a um médico, faço-o como se lhe mostrasse as mãos, sem sequer me vir à ideia que é uma zona íntima de mim que estou a expor.

4 comentários:

tulipa disse...

Olá Guida
Desculpa esta ausência, mas esta semana tem sido muito atribulada.
Gosto muito de cá vir.
Acho que o estás aqui a fazer é maravilhoso.

Pois é menina, então aos gajinhos tu mostras e às gajinhas nada (brincar).
Assim como o teu pessoal diz eu tambem o digo "DEIXA-TE DE COISAS".
Tu não estás perfeita, certo? Mas quem é perfeito, ninguem. Tu és uma pessoa linda e isso está a cima de TUDO. Vai em frente. Força, sem complexos.
O interior supera o exterior e a galhofa faz bem.

Beijos
Tulipa

Guida Palhota disse...

Olá, Tulipa!
Faz-me bem essa força vinda de ti, que nem sei onde estás...
Não tens de me pedir desculpa por nada. Aliás, eu é que acho maravilhoso que tu por aqui deixes algo de ti. Obrigada.

Quanto às gajinhas, não estão todas no mesmo saco, porque há a fisioterapeuta, a oncologista, as radioterapeutas e várias enfermeiras..., pondo eu à cabeça o trabalho espectacular que tem realizado "a minha Elisa", que pegou numa tigela rija e já fez dela uma bola de stress fofa (acho que lhe vou chamar 'bola de stress' para sempre, pois é para sempre que eu tenho de a massajar, para não endurecer de novo).

Vou ver se consigo seguir os conselhos relativos ao abandono dos complexos (que não são bem isso, mas aparentam).

beijos

Aníbal Meireles disse...

Há alguma contra-indicação a fazeres já a tatuagem e deixares o mamilo para quando a pele já tiver a elasticidade necessária ?

Assim talvez não te sintas tão "nua" e esse seja o passo suficiente para te sentires mais à-vontade com as tuas companheiras de balneário.

Guida Palhota disse...

Olá, Meireles!

Já vim da consulta. No máximo, dentro de 3 meses, terei tudo feito, pois já há condições físicas para tal, embora a tatuagem precise de um retalho de pele boa (retirada de um sítio ainda não decido), pois a pele da mama "bola de stress" é pele irradiada e as tatuagens não costumam ser bem sucedidas nessa pele "má".

(Vou explicar o processo num post)

beijo