Dedico e dirijo este blogue a todos aqueles que tiverem passado (ou estiverem a passar) por histórias de cancros, quer como protagonistas, quer no papel de acompanhantes na luta contra a doença, mas espero por cá encontrar qualquer contributo que qualquer um considere válido.
A intenção principal é trocar experiências de forma direta e sincera, sem necessidade de qualquer apoio no escudo da força constante e do pensamento sempre positivo, que tantas vezes não estão presentes, mas parece haver uma imposição social para que assim seja...
Sejam bem-vindos! E divulguem este blogue!

Por aqui, discorre-se sobre:

... Acompanhamento Psicológico Ajudar quem Ajuda Alertas Alimentação Alopécia Antes e Depois Aquisições autoestima Brincadeira Cancro da Mama nos Homens Cansaço Chamar os bois pelos nomes Cirurgias Cirurgias de Amigas Codependência Coisificação nas Doenças Prolongadas Complicações Pós-operatórias Consultas Conviver Cumplicidade Dar / Receber a Notícia Desafios Desânimo Desejos Desespero Despedida Diagnóstico Dicas Dieta Distinções Efeitos Secundários de Medicação Emagrecer Encontros de Amigas Esclarecimento Esperança Estilo de Vida Estímulos Exteriores Exames Pré-operatórios Exemplos Famosos Com Cancro Feminilidade Filosofia de Vida Pós Doença Fisioterapia Fracassos Gang da Mama histerectomia Histórias de Luta Hormonoterapia Hospitalizações Humor Implicações Psicológicas Incongruências Informação Lingerie Correta Lingerie Pós-Operatória Medos Meios Complementares de Diagnóstico Meios de Diagnóstico Menopausa Depois do Cancro da Mama Modos de ser Mudanças na Vida Natal Nova Normalidade Novas Amizades Novidades O Cancro em Pormenores O Cancro Não é Só uma Doença; é um conjunto de doenças O Cancro Não é Só uma Doença; é um conjunto de doenças; efeitos secundários da medicação Ocupação em Tempo de Baixa Os cancros dos amigos e familiares Palavras Alheias a Propósito do Propósito Parabéns Partilhar a Doença Perdas Pós-cirurgia Pós-operatórios Prazer em encontrar quem nos entende Prazeres Prevenção Prevenção de Recidivas Processo de Recuperação Projetos de Sensibilização Quimioterapia Radioterapia Rastreio do Cancro da Mama Reações Alheias Reações Pessoais Reconstrução Mamária Regresso à normalidade Regresso ao Trabalho Sentimentos negativos Sexualidade Sinais Sintomas Solidão Tamoxifeno Terapias Toque Tram Flap Tratamentos Verdade Verdadinha Vitórias Vontade de ter poder sobre a doença

riscos marcantes

riscos marcantes

NOTE BEM

No dia 11.1.11, este blogue passou a ser escrito à luz do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Viver de Pedra ao Peito





















Minhas queridas guerreiras

Quando eu tinha expansor (durante 15 meses), aguentava a dor por acção de um mecanismo psicológico que me animava, pois eu sentia-me em processo, em curso, até ao dia em que uma nova intervenção cirúrgica me trouxesse o alívio, ao efectuar-se a troca do balão carregado de soro fisiológico pela massa de silicone. Aguentava porque 'aguentar' aguentamos nós tudo, mas dormir de lado era mentira, emocionar-me era um tormento, sentir uma brisa fresca era o diabo..., porque sobre o expansor estava a pele e o músculo peitoral, ambos irradiados, sem qualquer intenção de se distenderem sequer o suficiente para que não me doesse na inspiração e expiração, quanto mais no espirro, quanto mais em qualquer esforço físico, quanto mais no amor...
Ninguém diz estas coisas! Mas a verdade é que é preciso dar a volta ao mundo muitas vezes para recuperar bens essenciais à sobrevivência!!!
E quando veio a nova cirurgia, não aconteceu alívio nenhum. Ficou tudo exactamente na mesma em termos de dor. Um dia destes passarei para este blogue alguns posts que tenho noutro sobre a hipnose que andei a fazer, para tentar livrar-me da pedra no meu peito. É exactamente como vivo. Com uma pedra ao peito. E quando chego a casa, não posso tirá-la e largá-la em cima da mesa pelo menos até ao dia seguinte.

Um dia, no Verão passado, num fim de tarde gostoso, à beira de uma piscina particular, dei umas braçadas de bruços, com a minha pedra (grande) ao peito. E logo de seguida, uma amiga que fizera uma tumorectomia disse: - Agora vou eu mostrar-vos como se nada. - E nadou, toda estilosa, e, para quem viu, o que ela tivera fora um cancro na mama (como eu, que fiz mastectomia e tenho o maldito objecto estranho a magoar-me porque não gostou dos raios) e um ano depois de mim... E eu senti-me inferior e triste, só mais tarde percebi que até fiquei com um pouco de raiva, mesmo sem nada dizer...
Vocês nunca tiveram dias de raiva, contida mas...? É que eu nunca tive ninguém que soubesse ouvir-me e agora apetece-me agarrar-me a vocês.
Desculpem-me. Eu sei que o discurso até está desconexo...

Há maneiras de me doer menos, há. Não posso ter uma vida de emoções e de stress (portanto não sei como é que vou viver...) e tenho de fazer ginástica diariamente até ao fim dos meus dias. Caso contrário, atrofia tudo e atrofio eu.

P.S. Já sei que vão achar-me uma queixinhas, mas com isso posso eu bem; andei mal foi com o silêncio de muita gente.

8 comentários:

Teresa disse...

Olá, Guida, aqui não há ninguém queixinhas (só em brincadeirinha). Fico sempre um pouco à parte desta questão da mama, porque não passei por isso, mas adopto a frase:
"É preciso dar a volta ao mundo muitas vezes para recuperar bens essenciais à sobrevivência!"
E sei bem o que são dias de raiva contida (e não contida também :-)).
Beijinhos, Guida, agarra-te a nós sim, que já contamos contigo e também te vamos agarrar a ti, verás.
TP

Natália disse...

Olá Guida
Fazes muito bem em deitar tudo cá para fora,como já viste aqui todas temos dias de muita revolta,não és diferente de nós podes crer.
Eu fiz tumorectomia mas estou como tu,claro que fiquei com a minha mama,mas sabes ainda há pouco tempo me revoltei com o medico,assim como me revoltei no dia a seguir á cirurgia,se o meu cancro era tão agressivo porque não me tiraram a mama toda,dizem-me que no sitio onde era (mamilo)bastava tirar um bocado com segurança,tirei 11 ganglios debaixo do braço,três já infectados.
Tenho dias de muita revolta,dores,má disposição e penso que somos todas assim.
Aqui ninguém chama queixinhas a ninguém,estamos todas no mesmo barco,com ou sem mama,mais ou menos bocado,somos todas amigas do PEITO e do CORAÇÃO,sempre que te apetecer grita e bem alto,nós fazemos o mesmo.
Quanto ao não nos dizerem nada tens toda a razão e só quem passa por este problema compreende,por isso somos tão amigas,ninguém nos diz que o tratamento nos causa problemas a todos os niveis,ninguem nos diz nem prepara para o que vamos ter que enfrentar para o resto da nossa vida,tudo muda.
Ninguém nos diz que os tratamentos nos estragam os dentes,ninguém nos diz que ficamos muito limitadas,ninguém nos diz que a nossa vida sexual vai mudar,a nossa energia desaparece,ninguém nos diz nada,vamos ter que aprender tudo por nossa conta,por isso te digo...grita quando sentires vontade,é para isso que criamos os blogues,para nos ajudarmos.
Beijinhos e força.

Cristina Simões disse...

Olá-calor...affff risos...
é assim .fiz radio antes de operar então vc pode imaginar como munha pele ficou.......qdo vou encher o dito cujo.....neste dia amiga e nos dois proximos...esqueçam de mim.......fico mesmo de cama.....como dói........então nestes dias eu digo pro meu marido toda chorosa.......amore onde
é que eu fui me meter....mas passados dois dia no maximo...esta tudo bem...e a sensação de ter uma pedra desaparece....
eita amiga não é fácil não ne....
mas que Deus abençoe vc viu,...
Olha escrevo deste jeitão mesmo....risos...mas vc entende ne...
beijocas
(então ta gostando do nosso grupo?eu te disse que era tudo doida....vc não viu nada ainda...imagina esse pessoal reunido?afffffff
mas é uma delicia rimos muito...
mas que maravilha sinto que estas mais integrada...e fico feliz....

Gatapininha disse...

Olá Guida
As meninas já disseram tudo sobre as queixinhas. Por vezes é só aqui que se consegue desabafar:)
Espero sinceramente que consigas melhorar a tua situação.
jokas

Lina Querubim disse...

Oi Guida, qual queixinhas qual quê???
Tu leste bem do que me queixo???
É normal o que sentes quer fisícamente quer pscológicamente, não usei expansor mas falei com Amigas que usaram, usam e queixam-se muito das dôres, do não dormir como se quer, de tudo a que te referes aqui e elas mesmas que te digam.
Desabafar faz bem e como eu digo muitas vezes não somos super-mulheres, somos guerreira duma luta mas...super não!
Temos momentos tristes, alegres, solidão no meio duma multidão, dores, revolta, angústia, etc...uma série de emoções e sentimentos que nos fazem ter vário tipos de atitudes que para muitos somos imcompreendidas. Aqui neste cantinho, eu, meu, da Nána, da TP,etc...somos iguais!
Sabemos do que falamos e compreendemo-nos. Ajudamos-nos e serve como uma terapia e vais ver que te vai fazer bem esta união :p beijokas e fica com os Anjos!!!

Lina Querubim disse...

Bolas...tanto erro e nada faz sentido aiiiiiiiiiiii já sou doida e escrever á pressa para ir á rua deu nisto. Pior que nunca!!!

PS- espero que continues a escrever bem iihihihihihih porque eu já tenho os neurónios queimados :p
Beijokas

Marcia disse...

Amiga,pode se agarrar a mim tambem!
Não sei escrever direito,nem me expressar bem,mas conte comigo!
Guida,já tenho meus silicones,há pouco mais de 3 meses,ainda não me adaptei bem com eles,dormir..nem sei mais o que é isso direito,pois não acho nenhuma posição confortável.Será sempre assim???
Espero eu que não!
muitos beijinss
Fica com Deus e com os anjinhos.

Anónimo disse...

Olá Guida
Daqui...mastectomia radical, com colocação de expansor, há mais de 4 anos...Não o tirei ainda porque:
- adoeci novamente quando ia iniciar o processo de reconstrução;
- Dois meses depois de ter o expansor cheio - ainda que nunca se tenha conseguido encher muito pois tirei muita pele, já estava tão habituada a ele que....passou a fazer parte de mim, não tenho dor, movimento os braços e o peito tal e qual como antes. Sei que o meu cirurgião (Dr. Bívar) tem uma técnica especial na colocação do expansor, mas nem sei muito bem como é. O que sei é que, o meu caso foi muito complicado e ele conseguiu por-me o expansor e de tal maneira bem...que não tenho qualquer dor ou desconforto.
Quanto à raiva contida...nada de novo por estas bandas: a raiva existe e por vezes...não a contenho!
Também tenho "amigas" dessas...uma, imagina...comprou-me um corpete, como um decote que nem Ana Bolena usaria melhor...imagina, eu com um decote, expansor em cima à esquerda e a outra mama em baixo, à direita!
Grrrrrrrrrrrrr
TeresaM