Dedico e dirijo este blogue a todos aqueles que tiverem passado (ou estiverem a passar) por histórias de cancros, quer como protagonistas, quer no papel de acompanhantes na luta contra a doença, mas espero por cá encontrar qualquer contributo que qualquer um considere válido.
A intenção principal é trocar experiências de forma direta e sincera, sem necessidade de qualquer apoio no escudo da força constante e do pensamento sempre positivo, que tantas vezes não estão presentes, mas parece haver uma imposição social para que assim seja...
Sejam bem-vindos! E divulguem este blogue!

Por aqui, discorre-se sobre:

... Acompanhamento Psicológico Ajudar quem Ajuda Alertas Alimentação Alopécia Antes e Depois Aquisições autoestima Brincadeira Cancro da Mama nos Homens Cansaço Chamar os bois pelos nomes Cirurgias Cirurgias de Amigas Codependência Coisificação nas Doenças Prolongadas Complicações Pós-operatórias Consultas Conviver Cumplicidade Dar / Receber a Notícia Desafios Desânimo Desejos Desespero Despedida Diagnóstico Dicas Dieta Distinções Efeitos Secundários de Medicação Emagrecer Encontros de Amigas Esclarecimento Esperança Estilo de Vida Estímulos Exteriores Exames Pré-operatórios Exemplos Famosos Com Cancro Feminilidade Filosofia de Vida Pós Doença Fisioterapia Fracassos Gang da Mama histerectomia Histórias de Luta Hormonoterapia Hospitalizações Humor Implicações Psicológicas Incongruências Informação Lingerie Correta Lingerie Pós-Operatória Medos Meios Complementares de Diagnóstico Meios de Diagnóstico Menopausa Depois do Cancro da Mama Modos de ser Mudanças na Vida Natal Nova Normalidade Novas Amizades Novidades O Cancro em Pormenores O Cancro Não é Só uma Doença; é um conjunto de doenças O Cancro Não é Só uma Doença; é um conjunto de doenças; efeitos secundários da medicação Ocupação em Tempo de Baixa Os cancros dos amigos e familiares Palavras Alheias a Propósito do Propósito Parabéns Partilhar a Doença Perdas Pós-cirurgia Pós-operatórios Prazer em encontrar quem nos entende Prazeres Prevenção Prevenção de Recidivas Processo de Recuperação Projetos de Sensibilização Quimioterapia Radioterapia Rastreio do Cancro da Mama Reações Alheias Reações Pessoais Reconstrução Mamária Regresso à normalidade Regresso ao Trabalho Sentimentos negativos Sexualidade Sinais Sintomas Solidão Tamoxifeno Terapias Toque Tram Flap Tratamentos Verdade Verdadinha Vitórias Vontade de ter poder sobre a doença

riscos marcantes

riscos marcantes

NOTE BEM

No dia 11.1.11, este blogue passou a ser escrito à luz do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

domingo, 14 de fevereiro de 2010

O Tamoxifeno e a Sua Guerra Contra os Estrogénios




















Algumas células do corpo humano são receptoras de hormonas. Células tumorais da mama que o sejam vivem dos estrogénios que o organismo da mulher produz e, através dele, adquirem capacidade para se multiplicarem, potenciando a metastização.
Mas o facto de tumores cancerosos nas mamas serem receptores de hormonas pode ser uma vantagem, pois, perante esse facto, é possível agir sobre a produção de estrogénios e, desse modo, evitar a proliferação das células defeituosas.
A acção sobre os estrogénios pode acontecer de forma radical, retirando os seus produtores, os ovários, ou administrando uma hormona que irá competir com a hormona natural, ligando-se aos receptores das células afectadas e, assim, neutralizando o efeito da hormona natural.
O Tamoxifeno é um bloqueador dos receptores, impedindo que o estrogénio volte a estimular as células cancerígenas.
Está já comprovado que este medicamento reduz substancialmente o aparecimento de neoplasia na mama contralateral, mas, como não há bela sem senão, há efeitos colaterais, secundários e limitações apresentadas por esta medicação, bem como a estimulação do cancro do endométrio, pois, para o útero, o Tamoxifeno é estrogénico - o que exige uma observação ginecológica mais frequente.
Esta espécie de "anti-hormona" é, normalmente, ingerida sob a forma de comprimidos, diariamente, durante cinco anos, ao fim dos quais, se ainda se revelar necessária, deverá ser substituída por outro medicamento, pois o organismo, por essa altura, já terá desenvolvido defesas contra a sua acção.
Nas mulheres pré-menopausicas, a menstruação é suprimida, pelo tempo da toma - o que não constitui uma indução da menopausa (tratamento que também pode ser adoptado, dependendo dos casos).
As interacções medicamentosas devem ser controladas, pois algumas podem provocar trombose.
Os efeitos secundários dependem das pessoas, mas é praticamente garantido um aumento de peso, com acumulação de tecido à volta da cintura.
A hormonoterapia começou, para mim, depois da quimioterapia e da radioterapia, pelo que mora em mim uma barreira anti-estrogénica há cerca de ano e meio. E estou, naturalmente, ligeiramente mais gorda e com uns mini-pneus na cintura. Mas isso só se nota, para os outros, se eu quiser e no Verão.
Os meus comprimidos, fornecidos pela farmácia do IPO, são redondos, cor-de-rosa e pequeninos e eu tomo um com cada pequeno-almoço.
Como contra esta necessidade de terapêutica hormonal não há nada a fazer, o melhor mesmo é enveredar por uma dieta equilibrada, por beber muita água e por praticar exercício físico, tudo de forma regular e para sempre. E nada disto é fácil...

Sem comentários: