Dedico e dirijo este blogue a todos aqueles que tiverem passado (ou estiverem a passar) por histórias de cancros, quer como protagonistas, quer no papel de acompanhantes na luta contra a doença, mas espero por cá encontrar qualquer contributo que qualquer um considere válido.
A intenção principal é trocar experiências de forma direta e sincera, sem necessidade de qualquer apoio no escudo da força constante e do pensamento sempre positivo, que tantas vezes não estão presentes, mas parece haver uma imposição social para que assim seja...
Sejam bem-vindos! E divulguem este blogue!

Por aqui, discorre-se sobre:

... Acompanhamento Psicológico Ajudar quem Ajuda Alertas Alimentação Alopécia Antes e Depois Aquisições autoestima Brincadeira Cancro da Mama nos Homens Cansaço Chamar os bois pelos nomes Cirurgias Cirurgias de Amigas Codependência Coisificação nas Doenças Prolongadas Complicações Pós-operatórias Consultas Conviver Cumplicidade Dar / Receber a Notícia Desafios Desânimo Desejos Desespero Despedida Diagnóstico Dicas Dieta Distinções Efeitos Secundários de Medicação Emagrecer Encontros de Amigas Esclarecimento Esperança Estilo de Vida Estímulos Exteriores Exames Pré-operatórios Exemplos Famosos Com Cancro Feminilidade Filosofia de Vida Pós Doença Fisioterapia Fracassos Gang da Mama histerectomia Histórias de Luta Hormonoterapia Hospitalizações Humor Implicações Psicológicas Incongruências Informação Lingerie Correta Lingerie Pós-Operatória Medos Meios Complementares de Diagnóstico Meios de Diagnóstico Menopausa Depois do Cancro da Mama Modos de ser Mudanças na Vida Natal Nova Normalidade Novas Amizades Novidades O Cancro em Pormenores O Cancro Não é Só uma Doença; é um conjunto de doenças O Cancro Não é Só uma Doença; é um conjunto de doenças; efeitos secundários da medicação Ocupação em Tempo de Baixa Os cancros dos amigos e familiares Palavras Alheias a Propósito do Propósito Parabéns Partilhar a Doença Perdas Pós-cirurgia Pós-operatórios Prazer em encontrar quem nos entende Prazeres Prevenção Prevenção de Recidivas Processo de Recuperação Projetos de Sensibilização Quimioterapia Radioterapia Rastreio do Cancro da Mama Reações Alheias Reações Pessoais Reconstrução Mamária Regresso à normalidade Regresso ao Trabalho Sentimentos negativos Sexualidade Sinais Sintomas Solidão Tamoxifeno Terapias Toque Tram Flap Tratamentos Verdade Verdadinha Vitórias Vontade de ter poder sobre a doença

riscos marcantes

riscos marcantes

NOTE BEM

No dia 11.1.11, este blogue passou a ser escrito à luz do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Nu Espelho

Uma saúde às nossas mamas de nascença!




















Há que vigiá-las!
Por mais bonitas que sejam,
estão à mercê de quem lhes quer mal...

Nota: O vinho tinto, nas doses reconhecidamente saudáveis, é um preventor.

2 comentários:

Aníbal Meireles disse...

Permito-me discordar da tua última afirmação; o vinho tinto é tão protector como o sumo das mesmas uvas com que o vinho tinto é feito; em temos de polifenóis (discute-se se têm mesmo efeito antioxidante), é exactamente a mesma coisa. Já o vinho tem aquela coisa que se chama alcool, e que eu ainda não li nem ouvi em lado nenhum que faça bem seja ao que for, em que dose for, a não ser para desinfectar feridas, e mesmo aí há coisas menos agressivas.

Essa do vinho é o que a indústria quer fazer passar. Desde que as pessoas saibam o que estão a fazer, enfim, mas que saibam e não se deixem enredar pelas campanhas de marketing. Um copo de sumo de uva tem o mesmo efeito, resveraterol, polifenóis, enfim, tudo, está tudo nas uvas, na casca e etc.

Guida Palhota disse...

Meireles:

Poderás ter alguma razão, mas, já agora, permite-me referir que eu nada disse a respeito do sumo de uva, não considerando, portanto, o vinho mais nem menos preventor que quaisquer outras substâncias que o possam ser. E, também, falar-te de acordo com o que andei a ler sobre este assunto, embora saiba que aqueles que parecem ser muito entendidos estão muitas vezes redondamente enganados...

Segundo os meus magros estudos sobre esta matéria, é verdade que nas uvas com que se faz o vinho tinto (incluindo cascas e grainhas - daí a diferença em relação ao vinho branco) há polifenóis, entre os quais o resveratrol, que podes encontrar no vinho tinto ou no sumo de uva.

Há, no entanto, algumas diferenças a considerar entre as características do vinho tinto e as do sumo de uva.

Os polifenóis são extraídos através da fermentação, algo a que o sumo de uva convém não estar muito exposto, pois o contacto com o oxigénio permite ao resveratrol uma oxidação muito rápida, perdendo-se, assim, as suas propriedades antioxidantes.

Os processos usados para preservar o vinho protegem-no do contacto com o oxigénio, permitindo a manutenção de uma elevada concentração de polifenóis, fruto da fermentação.

E o resveratrol actua nos genes que protegem as células saudáveis e pode atrasar qualquer fase de um cancro.

Quanto ao álcool do vinho, ele é também produto da fermentação (ninguém acrescenta álcool ao vinho...) do mosto das uvas, que é, essencialmente, um processo de conversão de açúcares em álcool.

Portanto, sumo de uva sim, mas feito e bebido na hora. Já o vinho tinto, pelo facto de ser submetido a cuidados especiais, conserva os seus interessantes constituintes por muito tempo.

E, de acordo com as minhas leituras, a quantidade higiénica de vinho tinto, por dia, não ultrapassa um pequeno copo.

Aquela velha máxima que diz que tudo se deve fazer "com conta, peso e medida" talvez nos permita o copo de vinho tinto ou o de sumo de uva - diariamente ou quando nos aprouver.

Beijos açucarados